Diferentemente do controle financeiro voltado apenas à gestão do caixa, o planejamento orçamentário ainda não é um assunto totalmente dominado pela maioria dos empresários brasileiros. Um dos motivos para isso é o próprio modelo de empreendedorismo adotado no país, muito mais empírico do que técnico. O perfil orientado quase que exclusivamente às ideias, sem a preocupação efetiva em estudar a fundo a viabilidade do negócio acaba fazendo com que essa parte importante do desenvolvimento empresarial fique restrita às grandes organizações.

A boa notícia é que é possível, sim, fazer um bom planejamento orçamentário sem grandes complicações. Sozinho ou com a ajuda de especialistas, o empresário terá inúmeras vantagens em aplicar essa técnica no dia a dia dele. E o melhor é que essa prática é viável para companhias de todos os segmentos e tamanhos, das microempresas às multinacionais. Além de melhorar a gestão financeira, esse exercício é importante para identificar pontos fortes e oportunidades de melhoria do negócio.

Por que o planejamento orçamentário é importante para a gestão financeira

O primeiro ponto positivo de fazer um bom planejamento orçamentário é ter uma gestão financeira de qualidade. Isso significa a possibilidade de identificar pontos positivos, como uma sobra de caixa, e outros nem tão agradáveis, como a falta de recursos – problemas esses que podem ser resolvidos com mais facilidade se identificados com rapidez. Em linhas gerais, o planejamento orçamentário dá condições ao empresário para que ele planeje e entenda o futuro da companhia, adotando estratégias mais eficientes e mais assertivas.

É importante ressaltar, no entanto, que esse é um processo evolutivo. A gestão financeira deve ser entendida como um exercício diário e que somente por meio da prática e do aprimoramento desse planejamento a empresa alcançará o equilíbrio.

O que queremos dizer é que talvez o empreendedor não tenha 100% de acertos em um primeiro momento. Muitas vezes essa escala começa em 20% no primeiro mês, aumenta para 30% no segundo e assim sucessivamente. Mas o importante é nunca desistir. O ideal é iniciar com um planejamento trimestral, acompanhando os resultados mês a mês, e fazer os ajustes necessários para o próximo período.

Outro ponto que merece destaque é que, embora não seja uma tarefa complicada, esse é um processo que demanda o conhecimento de ferramentas que muitas vezes o empresário não domina. Se esse for o seu caso, o ideal é que você procure ajuda de profissionais especializados se não se sentir confortável para assumir essa obrigação.

O ideal é que você procure um profissional que possa olhar para o seu negócio, que saiba interpretar a realidade da sua empresa e do mercado em que você atua e que possa converter isso em números.

Um especialista vai conseguir conceituar de forma técnica questões como a definição do preço de venda e como levar esse produto ou serviço ao mercado de forma lucrativa. Sabemos que há uma série de variáveis que influenciam esse processo. Uma delas é a própria questão tributária, um arcabouço cheio de complexidade no Brasil.

Falhas que o planejamento orçamentário eficiente ajuda a evitar

Provavelmente você já foi a um restaurante, pediu por determinado vinho e foi informado, minutos depois, que aquela opção já não estava mais disponível no cardápio. Esse tipo de situação é muito comum em empresas que não costumam ter um plano de negócios ou um planejamento bem elaborado. Os problemas com a gestão de estoque podem ser facilmente revertidos com um planejamento bem executado.

Para abrir um negócio em qualquer que seja o segmento é preciso o mínimo de planejamento e fazer um bom orçamento é uma parte importante desse processo. Muitas vezes o empreendedor tem a gestão financeira do negócio e até tem ideia de quanto faturou no mês e também quais são os seus custos, mas não pensa no longo prazo. Só enxerga o mês.

O mais recomendado é que você pare de fazer o controle financeiro com base no saldo da conta corrente. No caso mencionado acima, por exemplo, certamente o empresário não calculou de forma correta a demanda e, por isso, houve falha na entrega – clientes deixaram de receber o que era oferecido e que eles gostariam de pedir naquele dia.

O caminho para evitar dificuldades financeiras e melhorar a gestão do negócio passa, sobretudo, pelo entendimento sobre os resultados da empresa. Com base nessa compreensão é possível enxergar o que entrou de receita, quanto os impostos representam do custo total da companhia e qual o gasto para ofertar aquele produto ou serviço. É preciso ter essa radiografia, esse mapa mental do negócio, para conseguir tomar decisões mais eficazes no longo prazo em relação à sua gestão financeira.

Com esses dados em mãos, é hora de começar a avaliar os resultados do seu negócio. Está na hora de fazer algumas perguntas decisivas. Alguns exemplos: Como eu posso melhorar a minha receita? Para quem eu devo vender para conseguir um resultado melhor? Qual a melhor estratégia de marketing para a minha companhia? Essas são algumas perguntas que o empresário deve fazer para entender onde seu negócio está inserido e em que direção ele está caminhando.

Cada item dessa planilha de indicadores deve ser analisado separadamente. Somente assim é possível saber onde estão os gargalos da sua gestão financeira e do negócio como um todo. O custo está coerente ou está alto? Onde estão as perdas? Os gastos estão acima do esperado ou o preço de venda está baixo demais? Um planejamento orçamentário eficiente ajudará a responder esses questionamentos e a melhorar a sua gestão financeira.

É essencial lembrar, porém, que as projeções resultantes desse estudo precisam estar bem embasadas. De nada adianta fazer estimativas aleatórias. É preciso que essas expectativas sejam viáveis.

Por isso, o empresário deve buscar sempre premissas, indicadores de fatos reais que possam levar a uma certeza futura. Não esquecendo, claro, de levar em conta ajustes como a inflação ou, se o negócio estiver atrelado à moeda estrangeira, colocar nessa conta a variação cambial.

Dessa forma, por tudo que comentamos, o planejamento orçamentário contribui para uma gestão financeira eficaz, ajudando no desenvolvimento saudável do negócio e apontando alternativas criativas para a geração de receita da sua companhia.

 

cta_blog_esocial

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *